Espinha interna: como tirar e o que fazer para evitar

A espinha interna nunca deve ser espremida. O que se pode fazer é cuidar da pele adequadamente.

Quem já teve pelo menos um pouco de acne ao longo da vida já deve ter experimentado a sensação dolorosa de uma espinha interna. Esse tipo de espinha é aquele que deixa a pele elevada, avermelhada, causa desconforto ao encostar e, o pior, não tem um ponto externo que sirva de base para removê-la. Então, será que o único jeito é esperar que ela desapareça sozinha? Veja mais sobre o que causa, como tratá-la e como evitá-la.

O que é?
A espinha interna parece impossível de ser removida porque ela surge na segunda camada da pele, chamada de derme. Ela é formada pelo acúmulo de sebo (produzido naturalmente) e a ação inflamatória de bactérias.

De modo geral, é a mesma coisa que acontece com as espinhas comuns que também são formadas pelo acúmulo de secreção sebácea e se transformam de cravos em espinhas por causa de uma inflamação. Mas, diferente das espinhas comuns, ela não sai ao ser espremida.

Causa

A causa das espinhas internas é a mesma das externas. Como viu antes, a diferença entre elas é que a externa se forma na camada mais superficial da pele enquanto a interna se forma na derme, uma camada abaixo. Mas o que a faz aparecer são os mesmos problemas:

Excesso de oleosidade na pele;
Falta de uma limpeza de pele adequada;
Falta de remover a maquiagem todos os dias da forma correta;
Problemas hormonais (inclusive o desequilíbrio que ocorre na TPM).
É comum perceber que ela vai desaparecendo aos poucos, com o passar dos dias, mas que pode voltar no mesmo local. Isso ocorre quando a espinha não foi tratada e o processo ainda está na derme.

Leia Também:  Aprenda a aliviar os sintomas da cartilagem deteriorada

Como tirar espinha interna sem prejudicar a pele
Antes de aplicar qualquer produto ou receita caseira é recomendado consultar um dermatologista. Isso porque existem graus de acne que não podem ser resolvidos em casa, mas necessitam de tratamento médico, inclusive com antibióticos. De modo geral, os cuidados são os seguintes:


Compressa quente
Fazer uma compressa com água quente e um pano limpo sobre a região não vai removê-la como mágica, mas vai ajudar no alívio do incômodo que ela causa. Se fizer essa compressa várias vezes ao dia, em alguns casos a espinha acaba vindo para a camada mais superficial da pele, permitindo que seja removida.

Mas deve fazer isso com cuidado para não apertar demais e acabar machucando a pele, pois poderá agravar o quadro e ainda deixar manchas e cicatrizes.

Limpeza de pele
Uma limpeza de pele profunda em um caso como esse deve ser feita por um especialista, seja o dermatologista ou um esteticista. Ele vai usar os produtos adequado para cada tipo de pele e ter o cuidado necessário para que não piorar a espinha.

Manter a pele limpa
Para ajudar no controle das espinhas internas e externas é importante manter a pele sempre limpa e protegida, fazendo uso de produtos adequados para a pele oleosa. Lavar o rosto pela manhã e à noite é essencial, removendo por completo a maquiagem antes de ir dormir. Assim, a inflamação vai acalmando e a espinha reduz de tamanho em menos tempo.

Como evitar que apareça?
Como as espinhas internas e também as externas ocorrem principalmente por fatores hormonais, o que inclui a pele muito oleosa, são esses os focos do tratamento para evitar que elas apareçam. Sendo assim, é importante:

Leia Também:  Tira a fome, tem mais cálcio que o leite e + 11 motivos pra você consumir chia

Manter uma alimentação saudável e balanceada longe de alimentos gordurosos (inclusive lácteos), fast foods e excesso de açúcares;
Manter o controle da oleosidade da pele usando um sabonete próprio para pele oleosa;
Usar cosméticos próprios para pele oleosa;
Manter o rosto sempre limpo, mas sem lavar demais (de manhã e à noite é o suficiente);
Beber muita água ao longo do dia;
Nunca espremer as espinhas, pois podem infeccionar dando origem a outras;
Evitar situações muito estressantes e ter boas noites de sono para evitar a desregulação hormonal que aumenta a oleosidade da pele;
Consultar um médico para verificar se tem problemas hormonais e tratá-los.

Comentários no Facebook